CESUR parsiyel ta moncler outlet italya

     



< vkolujxz. complaint synonymp> 


  Welcome to CESUR DEM
moncler outlet italya

moncler ghany vest size 14
moncler sale
outlet moncler online affidabili
moncler jacket mens ebay
cheap moncler jackets replica Jandson Araujo's Blog

quarta-feira, 12 de agosto de 2009 Resenha crítica de "O Príncipe" de Maquiavel Introdução Maquiavel, um dos principais pensadores políticos da história, desempenhou grande importância para a sociedade renascentista e até hoje ele é bastante analisado, causando grande admiração entre os autores contemporâneos. Maquiavel realizou uma carreira diplomata, passando 5 meses com o embaixador Cesare Borgia que foi uma das fontes de influência de Maquiavel devido a sua política enérgica e inescrupulosa. Maquiavel também se baseava nos livros da Antigüidade Clássica Romana para saber “como se conquista o poder, como se mantém o poder e como se perde o poder". Através da junção destas teses ele formou sua grande obra, O Príncipe. O príncipe foi uma obra renascentista que defendia o poder absoluto que os chefes de estado deveriam usar. Ele observa a grave decadência política e moral da Itália e lamenta as invasões do país pelos "bárbaros" estrangeiros, Maquiavel dá conselhos a um príncipe ideal para conquistar o poder absoluto, acabar com as dissensões internas e expulsar os estrangeiros da Itália. Mas para fazer isso ele recomenda a utilização de todos os meios, inclusive a mentira, a fraude, a violência, enfim uma política autoritária. Ele era grande patriota e alertou que antigamente a utilização do poder autoritário foi para fins mesquinhos, não justificando sua utilização. Mais de quatro séculos nos separam da época em que viveu Maquiavel. Muitos leram e comentaram sua obra, mas um número consideravelmente maior de pessoas evoca seu nome ou pelo menos os termos que aí tem sua origem. "Maquiavélico e maquiavelismo" são adjetivo e substantivo que estão tanto no discurso erudito, no debate político, quanto na fala do dia-a-dia. Seu uso extrapola o mundo da política e habita sem nenhuma cerimônia o universo das relações privadas. Em qualquer de suas acepções, porém, o maquiavelismo está associado à ideia de perfídia, a um procedimento astucioso, velhaco, traiçoeiro. Estas expressões pejorativas sobreviveram de certa forma incólumes no tempo e no espaço, apenas alastrando-se da luta política para as desavenças do cotidiano." Assim, hoje em dia, na maioria das vezes, Maquiavel é mal interpretado. Maquiavel, ao escrever sua principal obra, O PRÍNCIPE, criou um "manual da política", que pode ser interpretado de muitas maneiras diferentes. Resenha A obra de Maquiavel deixou uma marca tão profunda na política dos Estados modernos que seu nome passou a qualificar um determinado tipo de política. "Maquiavélico" é, talvez, um dos adjetivos mais conhecidos até por aqueles que pouco ou nada têm a ver com política. A obra é relativamente pequena -26 capítulos, na sua maior parte pequenos, e uma carta de Maquiavel como Apêndice- e, de certa forma, até o Cap. XIII predomina uma intenção descritiva -hoje talvez poderíamos chamar de "Teoria do Estado"-da história política da Europa. Maquiavel preocupa-se em descrever as espécies de principados e de que forma se adquirem (Cap. I); dos principados hereditários e mistos (Cap. II e III); ou bem, como se conquistam pelas armas (Cap. VII) ou pelo crime (Cap. VIII). Trata também sobre os principados civis e os eclesiásticos (Cap. IX e XI) e da necessária preocupação e tratamento dos exércitos (XII e XIII). A partir do Cap. XIV -"Dos deveres do príncipe para com suas tropas"- o autor passa a entrar no que hoje poderíamos denominar de esfera ética. Preocupa-se em dar indicações e normas sobre modos de conduta que o Príncipe bom e prudente deveria seguir: "Deve, pois, um príncipe não ter outro objetivo nem outro pensamento, nem ter qualquer outra coisa como prática a não ser a guerra, o seu regulamento e a sua disciplina, porque essa é a única arte que se espera de quem comanda" (Cap. XIV). No Cap. XV, ao tratar "das razões por que os homens e, especialmente, os príncipes são louvados ou vituperados", Maquiavel manifesta seu intuito de falar sobre o comportamento que os príncipes devem ter com relação aos seus súbditos e esclarece que não pretende fazer como tantos outros autores que já tem tratado desse tema: "Todavia, como é meu intento escrever coisa útil para os que se interessarem, pareceu-me mais conveniente procurar a verdade pelo efeito das coisas, do que pelo que delas se possa imaginar". Trata-se, portanto, de inaugurar uma "ética de resultados", onde a verdade se conclua da utilidade ou inutilidade das ações. É neste capítulo que Maquiavel estabelece mais claramente a separação entre o "ser" e o "dever-ser": "Vai tanta diferença entre o como se vive e o modo por que se deveria viver, que quem se preocupar com o que se deveria fazer em vez do que se faz aprende antes a ruína própria, do que o modo de se preservar; e um homem que quiser fazer profissão de bondade é natural que se arruíne entre tantos que são maus". O critério ético fica deslocado a partir deste momento. O que interessa não é a bondade ou praticar atos justos, mas a utilidade e praticar atos que produzam um rendimento que beneficie ao autor. Maquiavel não afirma que essa atitude seja boa, simplesmente constata -como o fará repetidamente nos outros capítulos- que é a única atitude possível para sobreviver neste mundo. "Assim, é necessário a um príncipe, para se manter, que aprenda a poder ser mau e que se valha ou deixe de valer-se disso segundo a necessidade". Na raiz dessa postura encontra-se uma visão moderna do conceito de lei, embora Maquiavel não fale expressamente. A lei é vista como um instrumento do poder para imperar coativamente uma conduta determinada. Para Maquiavel, a lei é a própria vontade do Príncipe. Dessa forma, haveria dois mundos separados: o mundo da ética/moral, onde se afirma uma lei interna e privada e, até certo ponto, abstrata ( o espaço do dever-ser e da bondade); e o mundo do direito/justiça, onde se afirma uma lei externa, pública e concreta (o espaço do ser e do jurídico). Partindo dessa dicotomia, Maquiavel justificará qualquer tipo de ação, desde que "formal e publicamente" aceita, ou, como diria o autor, desde que o Príncipe convencesse, por quaisquer meios, os seus súbditos. Nesse sentido, inaugura uma nova visão sobre a ação humana e, especificamente, sobre a ação política. Hobbes e Rousseau serão apenas variantes "maquiavélicas". O "Contrato Social" difere apenas em quantidade: a vontade da maioria é maior do que a vontade do Príncipe, mas as suas bases são as mesmas, ou seja, a separação entre o público e o privado e a redução da lei a uma manifestação da vontade (do Príncipe ou da maioria) e à sua força coativa. Para o autor, como para seus seguidores, ou não cabe falar em justiça, ou então, a justiça passa a ser a consequência do fato de que o autor da lei se tenha expressado de maneira livre e de forma legalmente correta. Porém, discutir sobre se uma determinada lei é ou não contra a razão ou querer saber se é ou não como deve ser é, precisamente, sair do mundo jurídico e adentrar-se no mundo moral. Partindo desses princípios, Maquiavel aconselhará o Príncipe como ser liberal e generoso e como exigir tributos dos seus súbditos (Cap. XVI)ou como será melhor para ele ser temido do que amado, sempre que não seja odiado porque, afinal de contas, ninguém consegue provocar amor e, sim, medo, porém na medida certa de maneira que não se desperte o ódio (Cap. XVII). O Cap. XVIII - "De que forma os príncipes devem guardar a fé"- é, talvez, junto com o XV, um dos mais "maquiavélicos". Maquiavel começa lembrando que há duas formas de se combater: "uma, pelas leis; outra, pela força. A primeira é própria do homem; a segunda, dos animais". E avisa que, para que tudo saia bem para o Príncipe, é necessário que saiba "saiba empregar convenientemente o animal e o homem (...) Por isso, um príncipe prudente não pode nem deve guardar a palavra dada quando isso se lhe torne prejudicial e quando as causas que o determinaram cessem de existir". Da mesma forma que se deslocara o conceito de bondade como critério ético das ações, Maquiavel altera aqui o sentido do conceito de prudência. O termo clássico cunhado pelos gregos significava "a arte de agir bem", ou seja, a prudência era uma forma de conhecimento que permitia o homem saber como praticar seus atos de acordo como bem ético. Para Maquiavel, como vimos, a "bondade" passa a ser substituída pela "utilidade" e, portanto, carece de sentido uma conceituação de prudência relacionada com o bem. É, por isso, que "prudência" para Maquiavel passa a ser sinônimo de "esperteza" ou "astúcia": uma forma de conhecimento que permite, de acordo com as circunstâncias, agir em benefício próprio. Maquiavel, de novo, percebe que essa conduta não é, precisamente, a desejável, mas é a "melhor possível" no mundo em que nos encontramos: "Se os homens todos fossem bons, este preceito seria mau. Mas, dado que são pérfidos e que não a observariam a teu respeito, também não és obrigado a cumpri-la [a palavra dada] para com eles. Jamais faltaram aos príncipes razões para dissimular quebra da fé jurada". O mais importante, portanto, é "disfarçar muito bem esta qualidade e ser bom simulador e dissimulador. E tão simples são os homens, e obedecem tanto às necessidades presentes, que aquele que engana sempre encontrará quem se deixe enganar". Maquiavel não era propriamente um filósofo e, talvez, fosse excessivo pedir-lhe que atuasse como tal. Teria lembrado das posições clássicas sobre a lei. Os gregos pensavam que a lei é a medida do movimento. Nesse sentido, poderia entender-se que essa medida tem um certo caráter de "regra diretiva" da ação. A força, para ser eficaz, precisa estar dentro de uma forma. Uma força sem medida não é criadora, mas destruidora. A lei poderia definir-se como a medida do poder e a força. A questão é que Maquiavel faz depender o critério da "medida" do poder das próprias conveniências do Príncipe, enquanto que para os gregos, a "medida" do poder humano era a própria natureza humana, a sua racionalidade. O específico da violência é ser um poder sem medida, ou, como diria Maquiavel, um poder à medida das necessidades do Príncipe. Isto, embora o Príncipe possa impô-lo pela força, é contra a natureza do homem, porque o que todo homem deseja e a sociedade procura é compartilhar do bem comum e não garantir ou aceitar o bem de um só. É por isso que os gregos afirmavam que toda lei se ordena ao bem comum e que, portanto, a lei é o que é justo para a sociedade e não, como quer Maquiavel, o que seja conveniente para manter o poder. Dentro deste contexto, Maquiavel introduz definitivamente a distinção entre o "ser" e a "aparência". A preocupação da filosofia clássica entre o "ser" e os "acidentes" (ou fenômenos), ou seja , o fato de o homem ter acesso apenas ao que aparece e não à essência das coisas, que, para os gregos, implicou o desenvolvimento de toda a sua filosofia à procura do que as coisas são e não de como elas nos aparecem, passa a carecer de sentido no mundo moderno inaugurado por Maquiavel. "O Príncipe não precisa possuir todas as qualidades acima citadas, bastando que aparente possuí-las. Antes, teria eu a audácia de afirmar que, possuindo-as e usando-as todas, essas qualidades seriam prejudiciais, ao passo que, aparentando possuí-las, são benéficas; por exemplo, de um lado, parecer ser efetivamente piedoso, fiel, humano, íntegro, religioso, e de outro, ter o ânimo de, sendo obrigado pelas circunstâncias a não o ser, tornar-se o contrário". As circunstâncias passam a ser o critério da ação, de tal forma que o Príncipe "há de entender o seguinte: não pode observar todas as coisas a que são obrigados os homens considerados bons, sendo frequentemente forçado, para manter o governo, a agir contra a caridade, a fé, a humanidade, a religião. É necessário, por isso, que possua ânimo disposto a voltar-se para a direção a que os ventos e as variações da sorte o impelirem, e, como disse mais acima, não partir do bem, mas, podendo, saber entrar para o mal, se a isso estiver obrigado". E, dando provas, de quem conhece bem a pasta humana de que estamos feitos, confirma:"...os homens, em geral, julgam mais pelos olhos do que pelas mãos, pois todos podem ver, mas poucos são os que sabem sentir. Todos vêem o que tu pareces, mas poucos o que és realmente, e estes poucos não têm a audácia de contrariar a opinião dos que têm por si a majestade do Estado". No final deste capítulo, Maquiavel estabelece definitivamente o princípio que o tornará célebre ao longo da história: "Nas ações de todos os homens, máxime dos príncipes, onde não há tribunal para que recorrer, o que importa é o êxito bom ou mau. Procure, pois, um príncipe vencer e conservar o Estado. Os meios que empregar serão sempre julgados honrosos e louvados por todos, porque o vulgo é levado pelas aparências e pelos resultados dos fatos consumados". Maquiavel vai contra a corrente de pensamento clássico inaugurado pelos gregos, que estimulavam o homem a "tornar-se aquele que pode chegar a ser" ou "a ser si próprio". Maquiavel não acredita na capacidade de desenvolvimento perfectivo do ser humano. Olha e aceita o homem "como é". É por isso que carece de sentido falar de moral ou de Ética em Maquiavel. Porque a Ética diz respeito a esse desenvolvimento. Só cabe falar em Ética quando se considera o homem como um ser em formação e, portanto, com um "dever-ser" que o dirija. É sobre esse "dever-ser" que a Ética tem algo a falar. Não na forma de leis e normas que recortem ou impeçam a liberdade humana, mas explicitando as leis que encaminha a ação humana a sua auto-perfeição. Porém, Maquiavel não está preocupado com a tratar sobre a perfeição humana -já avisou no começo do livro- mas sobre a maneira de conservar o poder. O problema surge quando se aceitar definitivamente que essa maneira de agir é a única maneira razoável em política ou, por outras palavras, que a ética política consiste em aceitar o ser "de como as coisas são" e considerar o "como deveriam ser" as coisas como algo hipotético e moralizante. Dos outros capítulos, os mais interessantes, talvez, sejam o Cap. XXII, onde Maquiavel dá algumas indicações "úteis" sobre como os Príncipes devem tratar seus ministros se querem assegurar-se deles: tratá-los bem, dando-lhes honras, fazendo-os ricos de maneira que fiquem obrigados aos Príncipes e o Cap. XXV, quando fala da "Fortuna". A metáfora de Maquiavel com o rio encolerizado é adequada. A Fortuna ataca como um rio impetuoso, e nada ou muito pouco se pode fazer, mas depois "quando volta a calma, podem fazer reparos e barragens" evitando danos futuros numa outra cheia. Assim acontece com a fortuna. É preciso saber fazer-lhe resistência. E fazê-la mudando de atitude de acordo com as circunstâncias: "...julgo feliz aquele que combina o seu modo de proceder com as particularidades dos tempos, e infeliz o que faz discordar dos tempos a sua maneira de proceder". Maquiavel introduz na esfera política do renascimento uma cosmovisão de ética muito diferente da introduzida por um More, com a sua "Utopia", ou um Cervantes, com seu "D. Quixote". Trata-se de uma ética de resultados que terá consequências, a curto prazo, no âmbito da Conquista e colonização do Novo Mundo e, a longo prazo, no âmbito do que hoje conhecemos como "mundo da política". Conclusão O príncipe contém ensinamentos de como conquistar Estados e conservá-los sob domínio; em síntese, é um manual para governantes. O sonho de Maquiavel era ver a Itália unificada. Na Itália do renascimento reina grande confusão. A tirania impera em pequenos principados, governados despoticamente por casas reinantes de direitos contestáveis. A ilegitimidade do poder gera situações de crise e instabilidade permanente. Somente o cálculo político, a astúcia, a ação rápida e fulminante contra os adversários são capazes de manter o príncipe. Esmagar, ou reduzir à impotência a oposição interna, atemorizar os súditos para evitar a subversão e realizar alianças com outros principados constituem o eixo da administração. Como o poder se funda exclusivamente em atos de força, é previsível e natural que pela força seja deslocado, deste para aquele senhor. Nem a religião, nem a tradição, nem a vontade popular legitimam o soberano e ele tem que contar exclusivamente com a sua energia criadora (virtù). O núcleo da organização do Estado residiria na ordem que pode manifestar-se sob várias formas, mas que se apresentaria basicamente como principados ou como repúblicas. Não existiria, contudo uma ordem ideal, com validade absoluta, independente da organização social concreta dos povos. O povo é para Maquiavel, uma matéria que aguarda sua forma e a engenharia da ordem parte das análise da situação social, não do arbítrio do fundador dos Estados, mas de sua capacidade para captar, num momento de gênio (virtù), aquela forma desejável e de sua disposição para impô-la sem vacilação num momento propício (fortuna). Postado por Jandson Araujo às 18:50 47 comentários: Anônimo disse...

Wanna Get HIGH? Running out of Supply? Then Check Out My Shit! >>>>> http://bestlegalhighsdrugs.info <<<< If you have questions, you can email my boy at online.mentor [at] gmail.com [size=1] IGNORE THIS---------------------------- common hallucinogenic plants bugo albarius [url=http://bestlegalhighsdrugs.info] legal herbal highs [/url] dont mess with meth purple sticky salvia info [url=http://buybudshoplegalherbs.info] bud shop[/url] kraotm gametic isolation [url=HTTP://BUYINGMARIJUANASALE.INFO] Marijuana Sale [/url] akanita musfaria penstemon husker red [url=HTTP://BUYLEGALBUDSCOMREVIEWS.INFO] buy legal bud [/url] bufp lavarius aamnita musxaria [url=HTTP://CANNABISHIGH-PILLSHIGH.INFO] Ganja Effects[/url] bufi alvairus ecatasy pikls [url=HTTP://HOWTOBUYWEED-BUYINGWEED.INFO] buying marijuana[/url] bifo avlarius legsl nuds [url=http://legalbud.drugreviews.info] legalbud [/url] meth labs in missouri ecstsay pill [url=http://legalweed.lamodalatina.com] legalweed [/url] amabita muscarai manita musfaria [url=http://buysalvia.lamodalatina.com] order salvia extract[/url] hashish books salvka dviinorum amnaita muscarua amaniita muscarai [url=http://legalweed.lamodalatina.com] legal weeds [/url] crystal meth anonymous chicago mushroom trip stories [url=http://buysalviacheap.com] buy salvia plant[/url] where do psilocybe mushrooms grow new meth [url=http://guaranteedheightincrease.info/]height improvement[/url] - http://guaranteedheightincrease.info/ height increase - http://guaranteedheightincrease.info [url=http://provenpenisenlargement.info/]proven penis enlargement[/url] - http://provenpenisenlargement.info/ proven penis enlargement - http://provenpenisenlargement.info/ [url=http://provenskincareadvice.info/]skin care tips[/url] - http://provenskincareadvice.info/ skin care techniques - http://provenskincareadvice.info/ [url=http://getrichgambling.info/]get money gambling[/url] - http://getrichgambling.info/ get rich gambling - http://getrichgambling.info/ [url=http://herpesoutbreak-gentalwarts.info/]herpes outbreak[/url] - http://herpesoutbreak-gentalwarts.info/ herpes outbreak - http://herpesoutbreak-gentalwarts.info/ [url=http://STOP-PREMATURE-EJACULATION-SOLUTIONS.INFO]cure premature ejaculation[/url] - http://STOP-PREMATURE-EJACULATION-SOLUTIONS.INFO cure premature ejaculation - http://STOP-PREMATURE-EJACULATION-SOLUTIONS.INFO [url=http://3GMOBILEPHONESFORSALE.INFO]used mobile phone on sale[/url] - http://3GMOBILEPHONESFORSALE.INFO used mobile phone on sale - http://3GMOBILEPHONESFORSALE.INFO [url=http://internationaloddities.reviewsdiscountsonline.com] internationaloddities scams[/url] international oddities [url=http://drobuds.reviewsdiscountsonline.com]review of dro buds [/url] reviews of dro buds [url=http://bestacnetreatmentreviews.info] acne treatment review[/url] http://bestacnetreatmentreviews.info acne treatment review http://bestacnetreatmentreviews.info [url=HTTP://LEARN-HYPNOSIS-ONLINE.INFO]learn hypnosis online[/url] learn hypnosis online

9 de fevereiro de 2010 02:56 Anônimo disse...

I just discovered [url=http://bit.ly/bMGrYw]SatelliteTV[/url] on my PC! Ultra cheap at only $50 once off to get the software and an account on the Internet. I get more channels(in HD I might ad) than I get on cable so tomorrow I reckon I'm going to cancel my cable subscription. Thought I'd share this with you guys, worth to check out.

6 de março de 2010 04:57 Anônimo disse...

The French gourmet cheese Bleu d'Auvergne has a wonderful aroma, a rich taste; the saltiness increases with the incidence of veining. The overall flavor is piquant but not overly sharp. Bleu d'Auvergne started life as an imitation of Roquefort, using cow's milk in place of sheep's milk. Legend has it that a peasant, around 1845, decided to inject his cheese with a blue mold that he found growing on his left-over bread (the motto being, waste not, want not). And thus, the gourmet cheese Bleu d'Auvergne was born. This French gourmet blue cheese comes from the region of Auvergne and the cheese is made from milk of Salers and Aubrac cows. The rind is very thin and so the cheese is usually wrapped in foil. The cheese is rich and creamy with a pale yellow color and scattered holes and well-defined greenish-blue veining. We cut and wrap this cheese in wedge of 8 ounces and 1 pound. buy fresh blue cheese [url=http://riderx.info/members/buy_5F00_fresh_5F00_blue_5F00_cheese.aspx]buy fresh blue cheese[/url] http://riderx.info/members/buy_5F00_fresh_5F00_blue_5F00_cheese.aspx

7 de março de 2010 23:32 Anônimo disse...

Hello, I am Sabrina Rojas, Affiliate Executive of usainstantpayday.com, world’s largest bad credit loans community. I came across to your site and I must say that you have got an amazing site that has attracted a lot of visitors including me. I would be glad if you join our affiliate program because your site has full potential to send traffic to my website. The highlights of our program are: 1. Absolutely FREE registration. 2. You put up a banner or text link or lead sign up form on your site/blog/forum and send traffic from your site/blog/forum to our website. You can also promote via means of email marketing, PPC, telemarketing, etc 3. We will pay you $25 for each lead. (Affiliates are earning up to $1500 per week with our program) Please note that we try to contact the leads 7 times before marking it a dead lead. So what are you waiting for? Join Bad Credit Loans Program and earn dollars!! http://www.usainstantpayday.com For more questions please visit [url=http://www.usainstantpayday.com]http://www.usainstantpayday.com[/url] This Program will definitely help both of us mutually. You send your potential visitors to our site and we pay you for this. Please note that for doing email marketing you need to approve the email from us as we do not want any kind of spam activities to take place. Looking forward for a long term business relation Thanks, Sabrina Rojas sabrina@usainstantpayday.com Affiliate Executive http://www.usainstantpayday.com

11 de março de 2010 04:31 Anônimo disse...

megan fox naked cartoon, [url=http://discuss.tigweb.org/thread/187756]jennifer's body megan fox metacafe[/url] megan fox armani download kim kardashian sex tap, [url=http://discuss.tigweb.org/thread/187768]kim kardashian sex tae[/url] kim kardashian costume taylor swift you belong with me on piano with sheet music, [url=http://discuss.tigweb.org/thread/187772]jump then fall- taylor swift lyrics[/url] lyrics to picture to burn by taylor swift hannah montana the movie games, [url=http://discuss.tigweb.org/thread/187786]dress up hannah montana games[/url] watch hannah montana season finale for free harry potter attraction, [url=http://discuss.tigweb.org/thread/187792]harry potter pc game[/url] harry potter as a baby cruise vacations to mediterranean, [url=http://discuss.tigweb.org/thread/187798]tom cruises age[/url] cruise to cash and you have been referred to this website by jusin bieber, [url=http://discuss.tigweb.org/thread/187812]justin bieber broken leg[/url] justin bieber wallpaper britney spears vag, [url=http://discuss.tigweb.org/thread/187814]pics of britney spears[/url] britney spears oopsi did it again album jpg confessions of a teenage drama queen starring megan fox, [url=http://discuss.tigweb.org/thread/175542]hot megan fox pictures[/url] megan fox the it girl

21 de março de 2010 13:56 Anônimo disse...

hello all I just thought it would be good to introduce myself to everyone! Can't wait to get to know you all better! -Marshall Thanks again!

2 de abril de 2010 03:24 Anônimo disse...

What's up I just wanted to say hi to everyone Adios [URL=http://www.vpnmaster.com][IMG]http://openvpn.net/archive/openvpn-users/2005-05/pngd55nFojmJX.png[/IMG][/URL]

8 de abril de 2010 20:50 Anônimo disse...

Do you think the best way to get the cheapest plane tickets is by calling the airline? Or, do you scan through hundreds of websites provided by search engines to find low airfare tickets? Maybe you hope to find cheap airfare in the local newspaper's travel section. Finding cheap airline tickets can be one of the most frustrating experiences that most of us learn very quickly. Of course, most people eventually give up after spending hours scanning websites that offer virtually the same flight schedules and pricing. People purchase what they believe is the cheapest plane ticket, only to find their neighbor paid just a third of what they did! Unless you understand the concept of of how airlines set prices, all the searching in the world won't provide the cheapest airline ticket prices. The following information will give you a guide to follow, as you wander through the maze searching for cheap airfare. Understand how prices are set by airlines! Air ticket pricing is complex and unpredictable, and driven by competition, demand, and inventory. Airlines call this "yield management." Competition is the beast behind the cheapest plane tickets. All major airlines utilize central reservation systems (owned by various airlines) to fill available seats. The systems are known as Apollo, Sabre, WorldSpan and Galileo. Prices are based on demand, and if some flights are selling well, the price will increase. If the flight is unpopular and has very little demand, the fare is lowered in hope of attracting consumers. In short, fares and inventory change every minute of every day! Finding the cheapest plane tickets is difficult because travel agents and Internet websites use the central reservation systems that are updated periodically throughout the day. The reason why different searches come up with different results is because the systems are not updated at the same times. And, each system may use different algorithms when searching for low airfare tickets, which can provide a variety of ticket prices . [url=http://cheapairtickets.qarri.com/]Cheap air tickets- guide[/url]

13 de abril de 2010 06:51 Anônimo disse...

check out the new free [url=http://www.casinolasvegass.com]online casino games[/url] at the all new www.casinolasvegass.com, the most trusted [url=http://www.casinolasvegass.com]online casinos[/url] on the web! enjoy our [url=http://www.casinolasvegass.com/download.html]free casino software download[/url] and win money. you can also check other [url=http://sites.google.com/site/onlinecasinogames2010/]online casinos[/url] and [url=http://www.

O outlet The Mall, em Firenze Denya Pandolfi Dicas de viagem , Firenze 10 responses 6 de fevereiro de 2015 Firenze não possui outlets no centro da cidade. Hoje no blog vou falar do The Mall , o mais luxuoso, que fica nos arredores de Firenze, a cerca de 40 minutos de carro.  O The Mall fica na região de Incisa, em Leccio, e concentra as maiores e mais prestigiosas grifes. Dentre as lojas que vocês encontrarão por lá estão Bottega Veneta, Roberto Cavalli, Ferragamo, Dior, Zegna, Gucci, Prada, Diesel, Tom Ford, Armani, Hogan, Tod’s, Pucci, Burberry, Balenciaga, Fendi e Valentino. O lugar é uma tentação, rs!  Reserve um dia inteiro para bater perna (se você chegou até lá relaxe, aproveite e prepare-se para gastar. Como falei, não é um outlet popular e longe de ser com os americanos no quesito pechincha). Antes de falar sobre os preços, é importante frisar que os valores dos outlets aqui na Itália não podem ser comparados aos das pontas de estoque dos Estados Unidos.  Muita gente nos escreve perguntando se vale a pena uma visita ao The Mall. A resposta é sim, seguida de um porém: caso você tenha sorte de visitar a loja no momento que chegam as novidades da estação. É que algumas marcas oferecem produtos de até 4 ou 5 anos que não estão em excelentes condições. Além disso existem produtos que são feitos apenas para os outlets e a qualidade pode não ser como a dos produtos encontrados nas boutiques. É preciso ter paciência e saber separar o joio do trigo. Bolsas da Fendi por 455 e 535 euros

 

Tênis masculino da Hogan por 205 euros

Não quero me comprometer a revelar os preços mas darei aqui uma ajudinha para quem quer saber a média de preço do que encontramos no The Mall. Então vamos lá: calça jeans Diesel- 110 euros carteira Fendi – 190 euros bolsa pequena Miu Miu – 450 euros camisa Zegna – 155 euros sapato Ferragamo – 240 euros tênis Hogan – 235 euros vestido Pucci – 430 euros bolsa média Gucci – 570 euros As lojas do outlet também participam das promoções anuais que acontecem aqui na Itália, sempre em janeiro e em julho, com descontos que variam de 30 a 50%. Vocês não podem imaginar as filas que se formam nos primeiros dias de liquidação… Também pudera, no final das contas você pode adquirir um produto por 1/3 do valor encontrado na boutique. Os tênis da Nike

Média de 240 os tênis da Prada

No terraço da loja tem o Gucci Cafè, excelente local para uma pausa das compras ou para um happy-hour

O outlet foi ampliado em 2016 e ainda está em reforma. Agora o complexo conta com um complexo em anexo com uma loja grande da Nike e da Moncler.

Como chegar : Ônibus direto:   existe um serviço oferecido pela Sita com saída da rua Santa Caterina da Siena, 17, próximo da estação de trem Santa Maria Novella. O valor do bilhete é de 5 euros. Mais informações, clique  aqui . Trem:  partindo da estação de trem Santa Maria Novella até Rignano Sul l’arno . Dali prosseguir em taxi (5 minutos)

Carro:  pegar a auto-strada em direção à Roma.  Após o pedágio buscar direção Incisa-reggello e continuar à direita em direção à Pontasssieve até chegar em Leccio. Horário de funcionamento : das 10 às 19 h (junho, julho e agosto até às 20 h) Post atualizado em janeiro/2017.

Tagged: arredores de Firenze , como chegar ao The Mall , compras na Itália , Incisa , Leccio , outlet , outlets em Firenze , The Mall em reggello , vale a pena ir ao The Mall

About Denya Pandolfi

A minha paixão pela comunicação e pelo turismo é herança dos meus pais. Adoro viajar para observar e vivenciar as diversidades culturais. Depois que me formei em Jornalismo, passei longa temporada em Londres, um curto período nos Estados Unidos e atualmente vivo em Florença, com meu marido e nossos dois filhos. Desde 2005 sou retail na Ermenegildo Zegna. Busco sempre ver o lado positivo em todas as coisas e prefiro ter por perto aqueles que, como eu, dão mais valor às pessoas do que às coisas materiais.

You may also like... 0 O burgo de Gradara, nas Marcas 4 de agosto de 2017

0 Festas medievais na Toscana 31 de julho de 2017

0 Mercado Central de Roma 26 de julho de 2017

'O outlet The Mall, em Firenze' have 10 comments 9 de fevereiro de 2015 @ 16:59 Carina Costa

Já tinha ouvido falar amiga! Mas como qualquer outlet, fica sempre distante da cidade. Quem sabe na próxima eu vou… parece ser tentador, fora que é muito moderno, amei!

Baci

Reply

9 de fevereiro de 2015 @ 19:41 Denya Pandolfi

Oi Cà, estive novamente hà poucos dias para fazer as fotos e peguei a temporada do “saldi”, precinhos tentadores! Vms combinar um passeio por là qdo vc vier. Bacione e saudade, Denya